Resenha: O Circo Mecânico Tresaulti, de Genevieve Valentine

circo mecanico tresaulti

Respeitável público, o Circo voltou!
Num mundo pós-apocalíptico, onde as pessoas não tem mais acesso à tecnologias de ponta, uma caravana circense leva esperança por onde passa. Os artistas são sobreviventes de guerra, que tiveram seus corpos mutilados reconstruídos com complexas estruturas mecânicas.

Não tem nada melhor do que terminar um livro e imediatamente começar a procurar por outros livros do mesmo escritor. Quando você termina um livro de um autor desconhecido e pensa, “só li esse livro mas já acho que esse escritor será um dos meus novos escritores preferidos”. Quase nada, em minha experiência literária, se compara a essa emoção de “valeu a pena”. Valeu a pena resolver ler esse livro de uma escritora de quem nunca tinha ouvido falar antes. Valeu a pena dar uma chance a esse livro de que eu realmente não esperava muito. Valeu a pena – e muito – ler O Circo Mecânico Tresaulti.

Tresaulti conta a história de uma trupe de circo que vive em um mundo pós-apocalíptico. Essa não é uma trupe de circo comum, e seu mundo pós-apocalíptico apresenta muitos perigos para eles; mas isso é algo que o leitor entenderá apenas quando estiver por volta da metade do livro. Tresaulti não é um livro que se centra em um enredo forte e rápido, portanto leitores que preferem livros focados no enredo, é melhor irem se preparando. Esse é um livro focado na construção de atmosfera e exploração de personagens, tendo como base a escrita incrível de Genevieve.

Com certeza a escrita de Genevieve é a grande estrela do livro, pois ele simplesmente não funcionaria se sua autora fosse apenas um pouco menos talentosa. Por conta do modo como o livro é construído – foco na atmosfera, não no enredo -, o estilo de escrita se tornou indispensável; esse não poderia ser aquele tipo de livro em que a escrita não convence muito, ou é apenas decente, mas o leitor não se importa porque o foco está em saber o que irá acontecer no enredo. Genevieve certamente sabia disso quando começou a escrever o livro, e para nossa sorte não só aguentou essa pressão, como superou todas as expectativas.

circo mecanico tresaulti dentro

Em Tresaulti, cada capítulo abre e fecha por si só, focando em um personagem por vez; cada membro da trupe do circo ganha pelo menos um capítulo para si. No começo, somos apresentados à imagem exterior de cada personagem – sua máscara, a persona que apresentam ao público – e, conforme o desenrolar do livro, lentamente começamos a entender seu mundo interior, e quem realmente são. Os personagens que mais me chamaram a atenção foram Boss, Bird, e Elena – e o triângulo que Bird, Stenos, e Elena formam, porque SIM, essa escritora, além de tudo, me fez me interessar por um pseudo triângulo amoroso. A razão do meu interesse é justamente esse “pseudo”: a relação dos três é nebulosa e com diversas camadas, construída de uma forma incrível, e acaba se tornando um dos pontos de clímax no livro.

Não posso revelar muito sobre os personagens ou enredo pois tudo faz parte do processo de revelação e desmascaramento do livro, mas posso dizer isso: o fato de Tresaulti ser ambientado em um mundo pós-apocalíptico não é apenas um detalhe para chamar a atenção de leitores. O tema desse mundo pós-apocalíptico destruído por guerras se torna indispensável; o sumário do livro diz que os membros do circo são “sobreviventes de guerra”, e o leitor lentamente percebe que esse é o ponto principal do livro: esses personagens podem tentar fugir da guerra, mas nem sempre conseguem. Em um dos últimos capítulos do livro, é dito: “George nunca perde a impressão, agora, de que eles se movem como soldados”.

O tema de circos não é exatamente novo no mundo literário atual, e nem essa construção de um livro sobre o circo (escrita incrível, foco na atmosfera e personagens ao invés de enredo, capítulos focados em vários personagens diferentes, um toque de realismo fantástico): The Gracekeepers e o mundialmente famoso O Circo da Noite seguem o mesmo estilo. Mas não acho que isso desmereça qualquer um desses três livros. Os três conseguem se tornar especiais e ter algum ponto de diferenciação – em Tresaulti, é o tema da guerra e a mistura de um pouco de gênero steampunk por meio dos personagens com membros mecânicos. Além de, é claro, a escrita incrível – e as imagens espalhadas pelo livro. Essa é realmente uma obra de arte em forma de livro.

circo mecanico tresaulti contra-capa

Anúncios

4 comentários sobre “Resenha: O Circo Mecânico Tresaulti, de Genevieve Valentine

  1. Pingback: 100 livros em 2016: meu ano literário até agora | Raposísses

  2. Pingback: Resultados da #Vedatona + Próximas Resenhas/TBR | Raposísses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s