100 Livros em 2016: Meu Ano Literário Até Agora

Processed with VSCOcam with b1 preset

O site Goodreads foi uma das melhores descobertas do final do ano passado por vários motivos: saber o que eu já li e o que achei, ver o que os outros estão lendo, a possibilidade de criar tantas tags/”estantes” quanto eu, a louca das tags, quiser… e é claro, o Goodreads Challenge. Ele não é nada mais do que uma meta de leitura do ano,  e a parte divertida é ver como todo mundo está se saindo em suas metas. Para esse ano, coloquei uma meta de 100 livros – e a completei agora, em meados de julho.

Acho interessante não ver o número de livros lidos no total, mas sim ver o que eu li nesse ano até agora. Segundo o meu goodreads, eu li 65 livros com temas/personagens lgbt, 46 livros classificados como young adult, 61 que têm algum elemento de fantasia/ficção científica, 10 livros de poesia, 7 contos, 2 livros de não ficção, e 4 clássicos. Dos 100 livros, tenha a edição física de apenas 14 deles. E desses 100 livros, apenas 1 é brasileiro.

Nem todas essas estatísticas são boas – a última é verdadeiramente horrenda – mas agora que contabilizei minha leitura no meio do ano, posso ajustar meus planos para a segunda metade de 2016 de acordo. Obviamente, quero ler mais livros brasileiros, e ler mais dos livros que já estão na minha estante. Li bastante livros com personagens lgbt, mas a maioria deles eram sobre personagens masculinos, então quero dar um foco maior às meninas lgbt a partir de agora. Quero também tentar diminuir minha tbr, mas a palavra chave aqui é “tentar”, porque sei que essa é uma missão quase impossível.

Mas não vim aqui para falar sobre estatísticas, mas sim para falar de livros! Selecionei alguns dos livros que mais me impactaram nessa primeira metade de 2016, e que têm a chance de entrar para o meu Top 10 no final do ano. A maioria dessas escolhas são de livros que não recebem muito hype, então aqui está sua chance de conhecer vários livros interessantes de que nunca ouviu falar antes!

goodreads challenge

Os dois primeiros livros dessa lista já têm resenha aqui: A Ascensão de Talulla (★★★★) e O Circo Mecânico Tresaulti (★★★★★). Os próximos livros da lista são:

A Lente de Marbury, de Andrew Smith (★★★★)
Após um evento traumático, Jack viaja para Londres com seu melhor amigo Conner e começa a ter diversas experiências estranhas envolvendo um mundo paralelo de horrores chamado Marbury. Esse é um livro para quem não tem medo de ler sobre coisas estranhas e que nem sempre fazem sentido. Jack é um ótimo protagonista, e a relação dele com Conner é a grande força do livro. A Lente de Marbury é o primeiro livro de uma duologia. O segundo livro ainda não foi lançado no Brasil, mas é ainda melhor que o primeiro, respondendo várias das dúvidas do leitor, e criando mais mistérios. Andrew Smith é um autor sem medo de ousar em seus livros, e isso é nítido nessa série – especialmente em seu final, que foi um dos melhores finais que li em tempos.

A History of Glitter and Blood, de Hannah Moskowitz (★★★★★)
Em uma cidade antes povoada por fadas e agora devastada pela guerra entre gnomos e tightropers, Becka e seus amigos são as últimas fadas restantes, tentando sobreviver em um mundo transformado pela guerra. Hannah Moskowitz é uma das minhas escritoras favoritas por sua ousadia, e A History of Glitter and Blood é seu livro mais ousado até agora; comprovado pelas resenhas, divididas quase que igualmente entre 5-4 estrelas e 2-1 estrelas. Claramente, sou uma das pessoas do primeiro grupo. 😉 Esse é um livro dentro de um livro: ele é “escrito” por um dos próprios personagens, um narrador não confiável que corta linhas, reescreve páginas, e muda o rumo de seus pensamentos no meio da frase. A History of Glitter and Blood é uma história fantástica sobre as morais da guerra, como se forma uma família, e o que é amor, que começa um pouco devagar e confusa, mas que logo ganha ritmo e que ao final o deixa extremamento tocado.

Série Gives Light, de Rose Christo (★★★★)
Gives Light é uma série extremamento tocando sobre Skylar, um garoto mudo, que, depois que o pai desaparece, vai morar com sua avó na Reserva Indígena de Arizona. Gives Light é um YA fofo sobre dois garotos se apaixonando, mas é também um livro sobre os indígenas dos Estados Unidos, e todas as atrocidades por que passaram e ainda passam. Essa série realmente abriu meus olhos para o extermínio dos nativos que ocorre ainda hoje; no final de todo livro, a autora faz questão de falar sobre todos os eventos ocorridos no livro que são verdadeiros, e que estão ocorrendo agora mesmo sem que nós saibamos. Em um dos livros, é contada a história de como crianças indígenas são raptadas de suas reservas para serem então “adotadas” por casais brancos, e é uma história tão horrível – e contada com tanta sensibilidade por Rose Christo – que, apesar de eu ter lido a série em fevereiro, eu ainda lembro vividamente desse acontecimento. Gives Light é uma série incrível publicada independentemente pela autora; ou seja, você pode comprar a versão digital do livro por apenas 6 reais na Amazon!

The Darkest Part of the Forest, de Holly Black (★★★★)
The Darkest Part of the Forest é um conto de fadas moderno sobre Hazel e Ben, dois irmãos que vivem na cidade de Fairfold. Em Fairfold, humanos e fadas coexistem; mas o mundo feérico tem seus perigos, e todos os humanos da cidade sabem disso. Hazel e Ben brincavam de Cavaleira e Bardo desde criança, onde fingiam acordar o “menino com chifres” que jaz adormecido em um caixão de vidro no bosque de Fairfold… até que um dia o menino de chifres realmente desperta. Esse livro não só encapsula perfeitamente a atmosfera de contos de fadas, como também cria dois personagens incríveis em Hazel e Ben. A relação de irmãos entre eles torna o livro, além de mágico, muito sentimental.

Wink Poppy Midnight, de April Genevieve Tucholke (★★★★)
Mais um livro “estranho” onde as resenhas se dividem entre metade 5-4 estrelas e metade 2-1 estrelas! Wink Poppy Midnight conta a história de três personagens: Poppy é a “garota malvada”, rainha da escola e incrivelmente bonita; Wink é a “garota estranha”, constantemente falando de livros e contos de fadas, com uma mãe vidente e vários irmãos mais novos; e Midnight é o garoto preso entre as duas. Esse livro apresenta um caso raro de triângulo amoroso que torna o livro melhor, porque esse triângulo amoroso é composto por adolescentes que são… bem, psicopatas é um bom termo. Esse é um livro de mistério contado de forma única, com um estilo de escrita remetente dos contos de fadas, e personagens que não são o que aparentam ser… ou são?

Willful Machines, de Tim Floreen (★★★★)
Willful Machines é um YA com uma história típica de ficção científica, com revoluções de robôs e questionamentos sobre o que é a humanidade. Seu diferencial está no protagonista: Lee, o filho do presidente dos Estados Unidos… que é secretamente gay. No novo ano letivo, Lee conhece Nico, e enquanto o romance entre os dois cresce, Lee acabará se envolvendo na batalha entre humanos e robôs.

Kissing the Witch, de Emma Donoghue (★★★★)
Emma Donoghue é conhecida por seu best-seller Quarto, mas eu a conheço de Kissing the Witch, uma coleção de contos que reconta contos de fadas e transforma-os em histórias sobre personagens femininas de diversos tipos e sexualidades. Os personagens masculinos são praticamente inexistentes nesse livros, e se existem são vilões; o que achei não apenas inovador, como divertido. Cada história se liga à próxima, tornando a leitura fácil para leitores não acostumados com antologias de contos. É um livro perfeito para leitores interessados em contos de fadas, feminismo, e lésbicas.

Marrow, de Tarryn Fisher (★★★★)
Tarryn Fisher é a autoria do livro A Oportunista, lançado recentemente aqui no Brasil, e é co-autora do livro Nunca Jamais. Encontrei Marrow justamente porque me interessei por A Oportunista, mas ao olhar os outros livros da autora, Marrow pareceu mais a minha cara. Afinal, é sobre uma garota que vira uma assassina de estupradores e pedófilos. Acho que só preciso falar isso para despertar o interesse de todo mundo nesse livro, certo? Mas para os que ainda não estão convencidos, Marrow é sobre Margo, uma garota que vive em um bairro pobre e violento, que tem uma mãe abusiva, e só encontra conforto em sua amizade com o paralítico Judah Grant, e a criança Neveah… até que Neveah desaparece, e mais tarde é encontrada morta. Marrow é sobre uma adolescente matando homens ruins, mas mais do que isso, é sobre a própria Margo, e como ela cresce, muda, e se transforma com o passar dos anos. Ó ponto forte do livro está em seu psicológico, e nas questões morais que assolam Margo. Depois do soco no estômago que foi Marrow, mal posso esperar para ler os outros livros da Tarryn Fisher!

The Gracekeepers, de Kirsty Logan (★★★★★)
Provavelmente o meu livros favorito dos mencionados até agora, The Gracekeepers é mais um livro sobre um circo, que tem pipocado desde o sucesso de O Circo da Noite; mas The Gracekeepers consegue tornar um tema já batido em algo totalmente novo. The Gracekeepers conta a história de uma trupe circense vivendo em um mundo pós-apocaliptico, onde a grande parte do mundo é mar e a terra é escassa. Os moradores da terra são a elite da sociedade, mas os moradores do mar não os invejam; de fato, cada grupo se acha superior ao outro. O livro segue a história de duas garotas, e como suas histórias de entrelaçam: North, a domadora de ursos do circo Excalibur, que viveu toda sua vida no mar e despreza a terra firme; e Callanish, uma menina com um trabalho único – o de “gracekeeper”, a pessoa que administra os funerais dos moradores do mar –  e que nasceu uma moradora da terra, mas que tem uma relação única, e secreta, com o mar. Com traços de realismo mágico e uma escrita maravilhosa, esse é o livro que solidificou meu interesse por “livros sobre circos”.

Além desses 11 livros, há mais três que não estão na lista porque já são, com certeza, favoritos do ano. Eles são: A Saga dos Corvos, a trilogia Captive Prince, e Uprooted. Cada livro d’A Saga dos Corvos já está resenhado aqui no blog, mas optei por não falar sobre Captive Prince e Uprooted aqui porque apenas um parágrafo não seria suficiente para expressar tudo o que sinto sobre esses livros. Com certeza falarei mais sobre os dois no futuro próximo.

Além disso, nenhum livro participante da #MLI2016 está nesse post, porque quero falar sobre a MLI2016 separadamente. Mas vários dos livros lidos caberiam nessa lista, porque dos 10 livros (até agora) lidos, quatro ganharam 5 estrelas! Estou surpresa por ter tido uma MLI tão produtiva, mas como já disse, esse é assunto para outro post. 😉

E vocês, qual o seu livro favorito do ano até agora? Falem aí nos comentários, pois estou sempre atrás de mais sugestões de leitura!

Anúncios

2 comentários sobre “100 Livros em 2016: Meu Ano Literário Até Agora

  1. Pingback: Lançamentos: Livros YA LGBT para o segundo semestre de 2016 | Raposísses

  2. Pingback: Vídeo: 2016 em Leituras + Metas Literárias para 2017 | Raposísses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s